Mercado de produção de flores do Brasil comemora chegada da primavera com previsão de 7% de crescimento

Mercado de flores do Brasil comemora chegada da primavera com previsão de 7% de crescimento

  • Flores do campo - Fazenda Terra Viva - Crédito: Divulgação

Flores do campo - Fazenda Terra Viva - Crédito: Divulgação

Apesar de o índice previsto em 2019 ser 3% menor do que nos anos anteriores, ele é ainda muito significativo, principalmente considerando que o PIB - Produto Interno Bruto - ficará na faixa de um ponto percentual. A Expoflora, evento que acontece em Holambra até 29 de setembro para divulgar as novidades e os lançamentos do setor e fomentar o comércio de flores e plantas ornamentais em todo o país, já recebeu quase 250 mil visitantes e espera bater recorde de público até o final da festa.

O crescimento do mercado de flores no Brasil em 2019 está menor do que nos últimos quatro anos, quando vinha variando de 8% a 10,4%. No entanto, o setor ainda tem muito que comemorar. A previsão é de que a floricultura nacional cresça entre 7% e 8% este ano. Assim, a Expoflora, evento que está sendo realizado em Holambra (São Paulo) para mostrar ao país as novidades e os lançamentos em flores ornamentais, dá as boas-vindas à primavera em nome de toda a cadeia, que prevê faturamento da ordem de R$ 8,5 bilhões, de acordo com o Ibraflor – Instituto Brasileiro de Floricultura.

A Expoflora começou em 30 de agosto e, mesmo funcionando apenas de sexta-feira a domingo, já atraiu cerca de 250 mil visitantes. Até o encerramento, no dia 29 de setembro, deve bater o recorde do ano passado, quando registrou o número de 328 mil turistas encantados com as flores de cerca de 500 produtores que atuam no comércio nacional por meio das cooperativas Veiling de Holambra e Cooperflora.

Considerando a queda no crescimento, o presidente do Ibraflor, Kees Schoenmaker, recomenda cautela neste momento, mas acredita que não há motivo para pessimismo. “Nosso setor continua indo bem, porém existem diferenças regionais. Os produtores com qualidade, inovação e confiabilidade não precisam se preocupar”, diz.

As características dos próprios produtos – flores e plantas ornamentais - reforçam o cenário positivo. Segundo Kees Schoenmaker, as flores têm apelo emocional, melhoram a vida das pessoas, são cada vez mais fáceis de encontrar e têm preços que variam de R$ 5,00 a R$ 5 mil. “Essas qualidades e tendências particulares estimulam um ligeiro otimismo no setor”, conclui.

O otimismo é baseado também em novos negócios que começam a ser implementados. Um exemplo será a inauguração do Ceaflor, na próxima quarta-feira, dia 25. Trata-se de um imenso centro comercial, com 44 mil m² de área coberta e 676 boxes ou pontos de venda para flores de corte, de vaso, paisagismo e acessórios para floricultura, jardinagem e decoração. Instalado em Jaguariúna, no chamado “Circuito das Flores”, o Ceaflor fará com que a região de Holambra, que já respondia por 45% do comércio brasileiro de flores e plantas ornamentais, eleve a sua participação no mercado floricultor nacional para 65%.