Dia dos Pais deve movimentar R$ 5,6 bi

Dia dos Pais deve movimentar R$ 5,6 bi


Valor equivale a 4,5% de todo o faturamento do mês de agosto, de acordo com a CNC. Se confirmada, seria a terceira alta consecutiva registrada em Dia dos Pais. Em 2018, as vendas subiram 4,1%. E em 2017, 3,6%

As vendas do comércio no Dia dos Pais devem crescer 2,1% este ano, de acordo com a estimativa divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

A expectativa é que a data movimente R$ 5,6 bilhões, equivalente a 4,5% de todo o faturamento do mês de agosto.

Se confirmada, seria a terceira alta consecutiva registrada em Dia dos Pais. Em 2018, as vendas subiram 4,1%. Em 2017, 3,6%.

SEGMENTOS

Hipermercados e supermercados devem concentrar 40,4% do total de vendas relativas às compras do Dia dos Pais, registrando movimento de R$ 2,1 bilhões.

O comércio de artigos de uso pessoal e doméstico também espera alta de 15,6% das vendas, enquanto os ramos de vestuário e calçados estimam incremento de 12,9% no período.

De acordo com a projeção da CNC, o Dia dos Pais, celebrado no próximo domingo, vai ainda impulsionar as vendas de televisores, calçados esportivos e bebidas alcoólicas - produtos que tiveram preços reduzidos em relação aos praticados no ano anterior. Por outro lado, livros, entradas para o cinema e aparelhos telefônicos estão mais caros este ano.

TRABALHO TEMPORÁRIO

Para o presidente da CNC, José Roberto Tadros, a data deve ser vista como "um alento" para o comércio, que pode efetivar mais trabalhadores temporários do que o número de contratações registradas em anos anteriores.

A CNC espera uma geração de 11,9 mil postos de trabalho temporários voltados para o Dia dos Pais, contra 9,6 mil vagas criadas em 2018.

A maior parte das vagas abertas este ano - 5,1 mil - estarão concentradas nos segmentos de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo.

Também se destacam vestuário e calçados, com 2,7 mil, seguidos pelo ramo de artigos de uso pessoal e doméstico, com 1,9 mil.

O salário médio pago nesses postos será de R$ 1.257, segundo a CNC. O valor é 4,2% maior do que a média paga aos trabalhadores no ano passado.

E-COMMERCE

Uma projeção da plataforma Loja Integrada prevê um aumento de 28% no faturamento das lojas - se comparado com o mesmo período de 2018.

Os pequenos e médios lojistas virtuais se destacam cada vez mais no mercado de vendas online. Em sua maioria das vezes, esses empreendedores abriram sua loja com um investimento pequeno - cerca de R$ 1 mil, possuem estoque em casa e trabalham sozinhos.

Só na Loja Integrada, plataforma para criação de lojas virtuais com foco em pequenos e médios lojistas, já são mais de 1 milhão de lojas criadas e cerca de 600 novos negócios digitais lançados todos os dias na rede.

Para o Dia dos Pais, uma das datas mais importantes para o e-commerce, os pequenos e médios lojistas se preparam para garantir bons preços, com entregas eficientes.

“Comprar dos pequenos pode trazer diversos benefícios, como atendimento personalizado, além de ofertas em produtos de nicho e flexibilidade nas formas de envio - geralmente, as pequenas e médias lojas recebem menor volume de pedidos do que os grandes varejistas, o que reduz a possibilidade de problemas ou atrasos na entrega”, diz Alfredo Soares, especialista em comércio eletrônico e diretor de duas das maiores plataformas com foco em negócios PMEs do Brasil, a Loja Integrada e a XTECH Commerce.

De acordo com projeção da Loja Integrada, esses e-commerces devem faturar em 2019 cerca de R$ 84 milhões durante o mês de agosto - impulsionado principalmente pelo dia dos pais. “Só no ano passado esses lojistas faturaram cerca de R$ 65 milhões.

Para este ano, prevemos um aumento de 28% no faturamento das vendas pela internet”, explica Soares.

Ainda de acordo com levantamento da plataforma, o ticket médio das compras deve ser cerca de R$ 218,00 este ano - 5% a mais que o ano passado.

Os segmentos que devem se destacar nas vendas são: Moda e Acessórios, Cosméticos, Perfumaria e Cuidados Pessoais, Casa e Decoração, Eletrônicos e Esporte.

COMPRAS DE ÚLTIMA HORA

De acordo com pesquisa recente Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), oito em cada dez consumidores pretendem pesquisar e comparar os preços antes de finalizar as compras.

Desses, 71% costumam realizar pesquisas na internet, sendo que a maioria (72%) utiliza sites de busca. Lojas de shopping (55%) e lojas de rua (47%) também foram citados pelos consumidores como locais de pesquisa de preços.

Ainda segundo a pesquisa, metade dos entrevistados pretende comprar o presente de Dia dos Pais na primeira semana de agosto (principalmente as mulheres), enquanto 13% provavelmente acabarão deixando para a véspera.

“No Brasil, as pessoas costumam comprar os produtos em cima da hora, seja pela falta de tempo ou para tentar achar uma oferta que realmente valha a pena. Para quem vende online, uma boa dica é caprichar no prazo de entrega, oferecendo opções rápidas e seguras para que o presente chegue até a data”.

FOTO: Pixabay                        Diario do Comércio