Brasileiros gastam US$ 2,7 bi em sites estrangeiros em 2017

 

Nos últimos dois anos, mais da metade dos consumidores on-line havia comprado em portais internacionais; em 2017, dado caiu para 48%

A inflação mais controlada e a agilidade nas entregas de sites nacionais trouxeram ganhos de competitividade ao e-commerce brasileiro, que faturou R$ 47 bilhões em 2017, impulsionado pelo aumento de pedidos.

Como resultado, houve um pequeno enfraquecimento na proporção de compradores em sites internacionais, segundo o 37º relatório Webshoppers, divulgado em março pela Ebit – empresa referência em informação sobre comércio eletrônico. Segundo a pesquisa, 48% dos entrevistados declararam ter comprado em sites de outros países, queda de 5 pontos porcentuais em relação a 2016. Nos últimos dois anos, mais da metade dos consumidores on-line havia feito compras em portais internacionais.

Apesar da queda da proporção de consumidores que compraram fora do Brasil em relação ao total, a quantidade de clientes ativos (ou seja, aqueles que fizeram pelo menos uma compra em portais de outros países) cresceu 6% no ano, atingindo um total estimado de 22,4 milhões de pessoas.

Além disso, a Ebit estima que os brasileiros gastaram, somente em 2017, US$ 2,7 bilhões na compra de bens de consumo em sites estrangeiros – 15% a mais que em 2016. O fator determinante para o crescimento do faturamento das compras em sites internacionais em 2017 foi o número de pedidos, que cresceu 11,3%, atingindo de 73,8 milhões. Confira a matéria completa aqui.