Cultivar plantas e flores também é uma terapia

Dona de mais de quarenta orquídeas em sua residência, a técnica em contabilidade Eloisa Helena, de 59 anos, se declara fã de carteirinha quando o assunto colocado em pauta é o fascínio por flores. Espalhadas dentro da casa, garagem e varanda, as orquídeas são prioridade na rotina de Eloisa e recebem muitos mimos e carinhos.

“De manhã quando levanto olho vaso por vaso, porque minhas meninas precisam de atenção. Cultivá-las é mais do que um simples hobby, já é uma paixão, então as trato da melhor maneira possível”, afirma.
Eloisa explica que o interesse por plantas surgiu quando ganhou da irmã em seu aniversário, uma muda de orquídea e desde então não parou mais de admirá-las. “As orquídeas que tenho são maravilhosas, mas sempre procuro comprar mais para aumentar minha ‘coleção particular’ e dividir meu amor”, diz.

Suculentas

Compartilhando do mesmo fascínio, a aposentada Rosane Meirelles, de 57 anos, encontrou no cultivo de suculentas o caminho para uma aposentadoria pacífica e estável. Desde 2012, ela cria algumas espécies da planta e, a paixão pelas suculentas virou também um trabalho.

Rosane promove cursos em seu ateliê, ensinando aos alunos os cuidados básicos a respeito do cultivo da planta, além de confeccionar adornos que conferem às plantas uma identidade própria. “Quando se trabalha com o que se gosta a atividade nem parece realmente uma obrigação, mas sim diversão”, comenta.
De acordo com Rosane, as suculentas são plantas originárias do deserto, logo são mais resistentes e não necessitam de muita água, sendo fácil de cuidar.

Melhores amigas

Se o cachorro é apontado como o companheiro inseparável do homem, as plantas e flores são as melhores amigas da professora de biologia Celina Zanatta, de 65 anos.

Amante da natureza por forte influência do avô, Celina vê como terapia a arte de cuidar e amar suas plantas e para ela nada é mais renovador do que chegar em casa após um dia estressante de trabalho e poder admirar, e até conversar, com as flores de seu jardim.

“Tenho violetas, orquídeas, samambaias, suculentas e converso com todas elas, que me ouvem pacientemente. Cada uma tem um apelido e um lugar garantido no meu coração. Quando as vejo floridas minha felicidade é tanta que as encho de beijos e elogios”, declara ela. Cercada de muita variedade, Celina comenta que conviver com plantas é uma das escolhas mais assertivas de sua vida e que seu maior sonho é ter um orquidário.

Segundo a terapeuta Rose Nassif, o cultivo de plantas oferece sensações calmantes, já que as pessoas se concentram na prática do plantio e acabam esquecendo dos problemas externos que lhe causam ansiedade. Assim, cuidar de plantas pode ser terapêutico. “O contato com a natureza faz com que o indivíduo se desconecte dos problemas que o afligem, propiciando um estado de tranquilidade”, explica.

                                                                                                                                                                                                 Fonte: Classificados Modulinho