Carnaval de rua movimenta R$ 400 milhões na cidade de São Paulo, estima FecomercioSP

A Entidade, por meio do seu Conselho de Turismo, afirma que o crescimento no número de foliões coloca o carnaval paulistano entre os maiores do Brasil

São Paulo, 16 de fevereiro de 2018 - A Federação do Comercio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), por meio do seu Conselho de Turismo, estima que o Carnaval da capital paulista se consolidou como um evento de expressividade econômica, movimentando, até o momento, cerca de R$ 400 milhões. Na análise da Entidade, a cifra ainda pode aumentar, uma vez que há previsão de mais dois dias de atividades (17 e 18 de fevereiro).

De acordo com o Conselho de Turismo da FecomercioSP, o Carnaval de rua de São Paulo, além do tradicional desfile das escolas de samba no Anhembi, trará uma nova dinâmica econômica para a cidade no mês em que ocorre. A movimentação do comércio e dos serviços na cidade durante o período coloca o Carnaval entre a lista dos principais eventos do calendário, ao lado da Formula 1 e da Parada do Orgulho LGBT.

Para a presidente do Conselho do Turismo, Mariana Aldrigui, o movimento econômico durante a realização dos blocos de rua no carnaval ficou concentrado nos setores de alimentação, transportes e fantasias (roupas, adereço e maquiagem). "É importante notar que não se trata de injeção de dinheiro na economia, exceto pelo gasto dos turistas, razão pela qual se faz premente o debate sobre a relação entre qualidade de vida e desenvolvimento do turismo, pois o turista segue as práticas de lazer dos moradores - como historicamente se viu em Salvador, Recife e Rio de Janeiro", afirma.

A professora contextualiza a frequência de 9 milhões de pessoas, divulgada pela prefeitura: "São nove milhões de pessoas na soma de todos os dias do Carnaval, algo em torno de 2 milhões de pessoas se alternando entre os blocos em cada dia, com gasto médio diário em torno de R$ 45, principalmente em bebidas, alcoólicas e não alcoólicas. São, em sua maioria, residentes de São Paulo e da Grande São Paulo", afirma Mariana.

Os dados divulgados pela SPTuris, CET, Airbnb, entidades da hotelaria, e relatos dos organizadores dos blocos indicam que, em 2018, o Carnaval de São Paulo teve cerca de 60% do público com idade entre 18 e 30 anos, gastando em média R$ 45 por dia com bebidas e transporte, principalmente. Os dias mais movimentados foram sábado (10/2), domingo (11/2), segunda (12/2) e sábado (3/2). Em torno de 35% dos entrevistados foram a, no máximo, dois blocos no período, e outros 34% preferiram ir a um ou dois blocos diferentes por dia.