Documentário "Caminho das Flores" é sucesso na inrternet

Amanda Sisti é uma jornalista nascida em Campinas, moradora de Holambra há 15 anos e que, recentemente, lançou um documentário sobre o mercado de flores na cidade que é sucesso nas plataformas digitais: o “Caminho das flores”.

A proposta do projeto é compartilhar com o espectador todo o processo produtivo que envolve este comércio.  “Milhões de pessoas em todo o país compram flores diariamente, mas nem imaginam todo o processo de trabalho envolvido.  O objetivo é mostrar este processo que muitas vezes passa despercebido”, afirma a jornalista.

O “Caminho das flores” foi produzido durante todo o ano de 2017, como Trabalho de Conclusão de Curso da graduação de Jornalismo, mas sua repercussão já ultrapassou a marca de 10 mil visualizações e cerca de 400 compartilhamentos no Facebook em menos de um mês. “Estou feliz, não esperava tudo isso, todo dia aparece uma notificação nova e isso é gratificante, não tem preço que pague”, conta Amanda.

A princípio, Amanda conta que sua intenção não era publicar o trabalho no meio digital. “Alguns professores me criticaram na banca por ter feito um vídeo institucional, e confesso que não queria divulgar. Depois parei para pensar em quantas pessoas precisavam ver aquilo e, principalmente, as empresas nas participaram do documentário”. Após o vídeo ser publicado, o número de compartilhamento começou a subir e o material chegou a outros estados do país.

Reconhecimento

Com todo sucesso e alcance do documentário, a jornalista afirma que o retorno do público é recompensador. “Recebi várias mensagens de donos de floriculturas, trabalhadores rurais e trabalhadores em geral agradecendo pelo conteúdo. As pessoas compartilham, mandam recados emocionantes e isso é muito bom. Me dá fôlego”, conta.

O mercado das flores gera 3 mil empregos diretos na cidade de Holambra, número alto se comparado aos 14 mil habitantes do município, mas Amanda acredita que muitos moradores não conheciam a fundo todo o processo de produção e distribuição das flores. “Muitos me procuraram felizes em poder conhecer a cidade mais a fundo. Outros, aliás, grande parte do público, compartilharam o documentário por orgulho. Orgulho de trabalhar ou ter algum familiar que participe dessa rotina, já que muitas famílias daqui vivem disso”, ressalta.
Os planos futuros são de traçar um plano de divulgação para que o conteúdo atinja um número ainda maior de pessoas. E material para um novo documentário tem de sobra! “Ainda tenho muito material que não caberia no limite de 15 minutos do documentário feito para a faculdade. Pretendo transformá-lo em um material institucional maior no próximo ano”, conta a jornalista.

Conteúdo

O documentário “Caminho das flores” conta com a participação de produtores e trabalhadores rurais, comerciantes e funcionários do Veilling e Ibraflor. E para que o produto pudesse se tornar realidade, a jornalista estudou a história de Holambra, a imigração, as primeiras plantações, a história do Veiling, o trabalho rural, entre outros assuntos também abordados no documentário. “Pode parecer clichê, mais é uma sensação de dever cumprido, consegui fazer o que me propus a fazer. Não ficou perfeito claro, mas dentro do meu conhecimento de iniciante e do eu pude investir financeiramente, estou orgulhosa do que conquistei”, finaliza Amanda.

Serviço

Para assistir ao documentário, basta procurar pela página “Caminho das flores” na rede social Facebook.