Primavera em casa: saiba como cultivar flores e hortas

Dedicar-se às plantas, seja para decorar ou para alimentação, são excelentes hábitos para a saúde

Mariana Fernandes
A Tribuna

E para quem gosta de tê-las em casa, Felipe Villarinho Alvarez, empresário e florista, explica que o ideal é deixar a flor em um local que receba luminosidade. "Não precisa ter muito espaço. Pode ser na varanda, em cozinhas com vitrô e área de serviço".

Ele ressalta que cada uma tem seu tempo de vida, mas que a maioria volta a reproduzir flores. "É essencial pesquisar sobre elas e ver quais são suas necessidades. Como por exemplo, se menos ou mais água". 

Com o início da nova estação, listamos cinco espécies de flores que podem ser cultivadas dentro de casa, em vasos, jardins ou canteiros. Confira

 

Lírio - O lírio em vaso requer um local com boa iluminação, evitando o sol nas horas mais quentes do dia.  É importante não deixar a terra do vaso secar completamente, molhando sempre que necessário, até que água saia pelos furos de drenagem do vaso; mas evite que a água se acumule no pratinho.
Azáleia - Apesar de resistentes, as azaleias estão sujeitas a ataques de algumas pragas, que podem ser combatidas com inseticidas biodegradáveis e à base de água. Em geral, tornam-se vulneráveis ao avanço de pulgões, cochonilhas, tripes e moscas-minadoras por causa das condições inadequadas do processo de plantio. Entre elas estão regas irregulares, condições deficientes de luz e/ou de ventilação, baixa umidade relativa ou muitas plantas instaladas em uma área muito restrita
Hortênsia - Rústica e de boa adaptação a diferentes tipos de solos, a hortênsia ainda se destaca quanto à exuberância dos cachos que possui, os quais são muito utilizados para adornar diferentes ambientes. Disponibilidade de água e temperatura adequada são as maiores exigências para o bom desenvolvimento da hortênsia. 
Violeta - Pequenas, delicadas e de diversas cores. Cercada por folhas verdes cobertas por penugens, que dão a sensação de veludo, as flores são miúdas, abundantes e não apresentam cheiro. As violetas são fáceis de cultivar e não ocupam muito espaço. Alcançam tamanho de 15 a 20 centímetros e, com raízes curtas, apresentam bom desenvolvimento em pequenos vasos. Os de plástico são bastante comuns, porém, os modelos de barro são os mais indicados pela capacidade de absorção de umidade. Irrigações em excesso podem levar as raízes ao apodrecimento. A luminosidade é necessária para o seu crescimento, desde que, no entanto, a planta não fique exposta ao sol diretamente. Um outro cuidado que se deve ter é quanto ao ataque de pragas e à ocorrência de doenças.
Begônia - Destinada para ornamentação, a begônia pode atingir até 30 centímetros de altura. Com folhagens verdes ou avermelhadas e bordas recortadas, a planta floresce bem na maior parte do ano. Embora seja uma espécie perene, pode ser cultivada como uma planta anual. Há muitas variedades de begônia para plantio, que podem ser divididas entre as mais adequadas para vaso e outras para jardins, as quais são mais indicadas para quem está iniciando a atividade de cultivo. 

 

Horta

Assim como as flores, o cultivo das hortas requer cuidados e planejamento. E cuidar de uma delas em casa é sinônimo de saúde; afinal, além de ser um incentivo a mais para incluir verduras e temperos na alimentação de uma forma saudável, o cultivo caseiro garante hortaliças completamente livres de agrotóxicos. 

Para Paulo Marco de Campos Gonçalves, engenheiro agrônomo e orientador do curso de Horta Ecológica do Jardim Botânico de Santos, o primeiro passo para quem quer cultivar uma delas em casa é pensar no que gostaria de consumir: tomate cereja, orégano, alface, ervas para chá ou outros itens. 

Paulo explica que a horta pode ser feita de forma horizontal, com vasinhos no chão, ou vertical, sendo esta a opção ideal para quem não tem muito espaço. No tipo vertical ou armado, é possível utilizar até garrafas pets.

"O ideal é estudar a espécie que você pretender ter em casa. Saber se precisa de mais ou menos sol, o tempo que ela demora para reproduzir, se é uma planta grande ou pequena, mas vale lembrar que o tamanho pode ser manejado na poda". 

Paulo Marco, engenheiro agrônomo do Jardim Botânico, dá dicas de plantação (Foto: Alexsander Ferraz/AT)

O engenheiro destaca também que a prática de cultivar horta vai além da questão alimentar, servindo ainda como atividade relaxante, terapêutica e exercício físico. 

Em casa

Morador do Embaré, em Santos, Claudio Ferreira, de 72 anos, tem praticamente uma feira em casa. Há plantações de frutas, temperos e até legume. Após uma vida corrida, dedicada ao ramo de indústria química, mudou radicalmente sua rotina e tem como hobby cultivar horta.

“De uns anos para cá, comecei a trazer isso para minha vida. É uma terapia e também uma qualidade de vida, alimento sem agrotóxico, saboroso, que cresceu dentro da sua casa. Isso é sensacional”.

 

Claudio cultiva horta em diversos recipientes, como: cano, garrafas pets e copos (Foto: Alberto Marques/AT)

No quintal de sua casa, ele se dedica a  testar novas maneiras de plantar sementes, mudas e produzir seu próprio adubo caseiro. "A dica para quem quer começar a ter horta em casa é plantar aquilo que gosta de comer. Pode ser tomate, orégano, pimentão, morango. Quando você começar a ver aqui crescendo e dando certo a vontade de plantar aumenta". 

Ficou com vontade de ter uma mini horta em casa? Na hora de escolher o melhor modo de plantar, pense no espaço disponível, considere as espécies que deseja cultivar e avalie qual modelo melhor se integra à decoração e estilo da sua casa.

Veja formas de cultivar as plantas:

Direto na terra: ideal para quem tem quintal com espaço. Neste modelo tradicional, as sementes ou mudas são plantadas direto na terra.

Vasos: são alternativas práticas tanto para quem mora em casa quanto em apartamento, com várias opções de tamanhos, materiais, formatos e cores.

Embalagens recicladas: garrafas pet, latas de refrigerante ou alimentos, caixas de leite, potes de vidro são uma saída barata, rápida e sustentável.

Floreiras: oferecendo um bom espaço, elas são ótimas para uma horta compacta em pequenos espaços.

Caixas de madeira: espaçosos e baratos, caixotes de madeira e paletes podem ser boas escolhas.

Horta vertical: ideal para quem mora em apartamento, esse modelo consiste em montar a horta aproveitando espaços próximos a paredes. A horta vertical pode ser plantada em vasos, embalagens recicladas, estruturas de madeira e sapateiras. 

Vale lembrar que quem optar por vasos, potes, caixas, garrafas e outros recipientes, seja em hortas verticais ou horizontais, não deve esquecer de providenciar furos no fundo para evitar o excesso de água no solo.

Serviço: O curso da Horta Ecológica é gratuito e as aulas acontecem às quartas-feiras, das 14h às 17h, no Jardim Botânico de Santos, Rua João Fracarolli, s/nº. Entre os temas tratados estão compostagem orgânica, produção de mudas, sementeiras, preparação de canteiro, práticas de cultivo e colheita, ervas medicinais e prática de agrofloresta.