Empresário monta orquidário com flores dadas à esposa em 15 anos de união

Anderson Barros Figueiredo montou um viveiro em casa para tratar das mais de 100 plantas, em Goiânia. Ele diz que objetivo é dar presente que seja duradouro.

O empresário Anderson Barros Figueiredo, de 47 anos, sempre comemora o Dia dos Namorados, celebrado nesta segunda-feira (12), presenteando a amada com flores. Durante os 15 anos de casamento com a empresária Angela Messias da Costa, de 42, ele sempre teve o costume de dar plantas, especialmente orquídeas. Para guardar os mais de cem exemplares acumulados com o passar do tempo, foi preciso montar um orquidário na casa da família, em Goiânia.

Anderson conta que, no início do relacionamento, não gostava de dar flores como lírios, pois elas duravam poucos dias. A experiência mudou quando ele passou a dar orquídeas e precisou aprofundar seus conhecimentos para fazer com que o presente permanecesse "vivo" por mais tempo.

“Eu dava uma, duas, três e daqui a pouco, dez. No Dia dos Namorados, mais uma e eu pegava essa orquídea e, com o conhecimento que fui adquirindo, replantava, então, dava uma nova chance para ela [flor]", relata.

O empresário diz que, com esse processo, percebeu que as flores dadas nessa época do ano voltavam a florescer no aniversário da amada, em fevereiro. "Assim, virou um símbolo, a gente já sabe que no ano seguinte, eu tenho, no mínimo, dez ou doze plantas floridas para o aniversário da Angela”, explica.

Empresário Anderson Barros Figueiredo montou orquidário com flores dada à amada, Angela, em Goiás (Foto: Danielle Oliveira/G1)

A empresária confessa que adora as plantas e que vê o gesto do marido como um sinal de carinho. “É diferente de você dar um objeto, de você dar alguma coisa que é morta. Eu acho que a flor tem um significado simbólico mesmo, mas que é carinho. É uma beleza tão natural, é uma coisa tão tranquila, eu sou apaixonada mesmo. Adoro”, afirma.

Angela lembra que Anderson sempre a presenteou com flores em seu aniversário e no Dia dos Namorados. Ela brinca que chegou a um ponto que eram tantas orquídeas, que não tinha mais lugar para guardá-las. Hoje, são 110 unidades, que florescem em períodos diferentes. Daí, a necessidade do orquidário.

“Foi virando aquele monte. Foi engraçado, porque começou ‘eu vou te dando uma orquídea, dou duas, três, quatro’. Chegou uma hora que não tinha lugar. Também, a minha mãe ganhou 30 orquídeas de uma fazenda e não estava dando conta de cuidar. Então, juntou as nossas e essa necessidade de cuidar das da minha mãe e assim que foi crescendo o orquidário”, lembra Angela.

Atualmente viveiro conta com mais de 100 orquídeas de diferentes tipos (Foto: Danielle Oliveira/G1)

Parceria

O casal tem três filhos, frutos de relacionamentos anteriores. Angela tem o filho Yan Costa, de 21 anos e Anderson tem Gustavo Evangelista, de 19, e a Ianny Barros, de 18. Os dois meninos moram com o casal, já a jovem mora em Brasília. Segundo o empresário, mesmo não sendo irmãos de sangue, os filhos sempre tiveram um relacionamento de cumplicidade.

“No começo, a Angela e eu já éramos amigos e ela começou a fazer uns trabalhos para mim de pesquisa e foi aprofundando a amizade e surgiu o namoro. Na época, o Yan tinha uns 5 anos e o Gustavo 3. E começamos a morar no mesmo condomínio, só que em apartamentos diferentes, ela de um lado e eu de outro. E ficou aquela história de dorme aqui, dorme lá e daqui a pouco juntamos os panos. E graças a Deus os moleques cresceram juntos, mais unidos do que irmão, nunca vi daquele jeito”, lembra o empresário.

Para os dois, o que fortalece a união durante os anos de casamento é o companheirismo. Anderson conta que durante todos os anos de casamento, a parceria do casal é o que fortalece a união. Ele conta que os dois fazem tudo juntos, desde o trabalho até a prática de esportes. Atualmente, eles são adeptos do ciclismo.

“Não vou dizer que casamento é fácil, porque é uma descoberta diária. O que temos que por na cabeça é que não é para brigar, se você tem aquele pensamento de ‘não presta, separa’, você separa todo ano. Acho que o Dia dos Namorados fortalece esse laço. Se descobrir novamente, renovar anualmente, nem que seja simbolicamente. Dificuldade tem o tempo inteiro. Você só tem que mudar essa conversa: ‘estamos com problema? Então, como resolver? ’”, diz Anderson.

Casal conta que amizade levou ao namoro e depois ao casamento (Foto: Danielle Oliveira/G1)

A empresária concorda que celebrar o Dia dos Namorados, mesmo para casais com longa data de união, é importante para lembrar o valor que a pessoa que está ao seu lado tem para a sua vida. Por isso, as orquídeas que ganha do companheiro são ainda mais especiais.

“Não, necessariamente, é uma data que precisa de presente, ou qualquer outra coisa, mas eu acho que ela vem lembrar a necessidade de, mesmo casados, você namorar, sair do seu dia a dia, sair daquela coisa da rotina, que às vezes a relação vai se tornando. É simbólica, mas ajuda a gente a repensar isso. A dar valor a isso”, destacou.

“Sobretudo, é isso que fortalece. É ter no outro aquele que você pode contar. Tem muito da gente que é diferente, mas em tudo que a gente é parecido a gente acaba priorizando a relação. Priorizando estar juntos, sair juntos, olhar para os filhos juntos, mesmo que os filhos sejam de outro casamento, mas tem muito respeito”, concluiu Angela. 

Por Danielle Oliveira*, G1 GO