Venda de Flores para o Dia Internacional da Mulher 2016

VENDAS DE FLORES PARA O DIA INTERNACIONAL DA MULHER 2016

O Dia Internacional da Mulher, celebrado em 08 de março, marca a efetiva abertura anual do mercado nacional de flores, a partir da qual se observam importantes acréscimos nos fluxos de produção e comercialização setorial, já que nos meses de janeiro e fevereiro o consumo sofre importantes níveis de queda, por virem após as festividades de final de ano e constituírem-se em período de férias.

Pesquisa realizada pela Hórtica Consultoria e Inteligência de Mercado, em parceria com o Sindiflores (Sindicato do Comércio Varejista de Flores e Plantas Ornamentais do Estado de São Paulo ), entre os dias 27 de fevereiro e 04 de março de 2016, visa aquilatar as principais expectativas de vendas das floriculturas e empresas de varejo para essa data, conforme a seguir demonstradas.

 

Vendas de flores deverão cair 27% no Dia Internacional da Mulher de 2016

               

Para o Dia Internacional da Mulher de 2016, as vendas de flores no varejo, segundo as empresas entrevistadas, deverão ser 27,1% menores do que as obtidas na mesma data no ano anterior. O termômetro das expectativas de vendas aponta para comportamento sensivelmente mais negativo em relação aos observados para a mesma data nos anos de 2014 e 2015, quando o decréscimo em relação aos anos antecedentes foi, em ambos os casos, de 15,4%.

A grande maioria (69,5%) das floriculturas e demais empresas do ramo varejista de flores e plantas entrevistadas em todo o Brasil afirmam estarem convictas de que os impactos negativos sobre o comércio de suas mercadorias decorrerão diretamente do agravamento da situação econômica do País.

 

As flores preferidas para presentear as mulheres, no seu dia, em 2016

 

As rosas lideram majoritariamente as preferências de compra para presentear no Dia Internacional da Mulher 2016, com uma participação relativa de 59%. Essas flores costumam ser compradas como buquês de 6 a 12 botões. Cabe observar, porém, que vem se tornando cada vez mais importante, o ato de presentear com apenas um botão solitário de rosa embalada, especialmente no caso da demanda corporativa. Neste ano, a participação observada é praticamente idêntica à da mesma data em 2015, o que revela relativa estabilidade do consumo desta flor para a celebração da mulher.

As rosas importadas da Colômbia e Equador – sempre muito apreciadas para a data, especialmente devido às maiores dimensões de seus botões – neste ano de 2016 terão penetração menor, devido ao encarecimento do dólar nas relações cambiais. Para 44,4% das floriculturas e empresas entrevistadas, haverá redução de venda dessas flores. Um terço delas aposta que as vendas de rosas importadas ficarão em patamares idênticos aos verificados no ano passado.

Em segundo lugar na preferência das compras surgem os buquês mistos, que mesclam diferentes espécies de flores, entre as quais as rosas podem ser também destacadas. Complementam-se com alstroemérias, gérberas, lisianthus e flores do campo diversas. Acumulam, para a data, em 2016, 13% das opções preferenciais de presentes florais.

Arranjos de pequenas dimensões entram compondo 8% das compras, mesmo porcentual encontrado para os vasos floridos de begônias, kalanchoes, calandivas, lírios, prímulas, tulipas e violetas, entre outras. Ramalhetes de flores vermelhas em geral entram compondo 7% dos presentes. As orquídeas decaem para a última posição do ranking, concentrando participação porcentual relativa de 5%, índice este inferior aos 8% acumulados na mesma data de 2015 e de 7%, em 2014.

 

Tíquete médio será de R$ 65,00

 

O tíquete médio de compra do consumidor brasileiro para presentear no Dia Internacional da Mulher em 2016, segundo as floriculturas e empresas de varejo pesquisadas, deverá ser de R$ 65,00 e se concentrará principalmente na faixa de R$ 35,00 a R$ 50,00 (40%), seguida pelas de R$ 50,00 a R$ 80,00 (22%), de R$ 80,00 a R$ 100,00 e mais que R$ 100,00 (com 17% de participação cada uma delas) e, finalmente, pela de R$ 20,00 a R$ 35,00 (4%).

Em relação ao ano anterior, o valor a ser gasto pelo consumidor brasileiro na compra de flores para presentear nesta data sofrerá elevação de 18,2%, haja vista que, para o Dia Internacional da Mulher de 2015, o tíquete médio foi de R$ 55,00.

As vendas serão pagas majoritariamente em cartão de crédito (58,3%), com opções bem menos expressivas para pagamento em dinheiro (27,8%), cartão de débito (11,1%) e outras opções, como cheque pré-datado e boleto bancário (2,8%).

No Dia Internacional da Mulher de 2016, aguarda-se que as compras realizadas por pessoas físicas representarão 69,6 % da movimentação total do setor, enquanto que a participação porcentual relativa das empresas, entidades e corporações ficarão com 30,4%. Esses indicadores possuem valores menores do que os observados no ano anterior, quando a relação foi de, respectivamente, 64,7% e 35,3%. Tal fato aponta para a necessidade da retomada de iniciativas e campanhas promocionais do setor junto às empresas e corporações visando incentivar a compra e distribuição de flores para homenagear suas clientes, funcionárias e colaboradoras.