Opção em tempos de crise

Preços mais acessíveis, serviços personalizados e pesquisa impulsionam expansão do e-commerce

Promoções, preços mais acessíveis, serviços personalizados, possibilidade de pesquisa de produtos e valores, feedback de demais compradores e variadas formas de pagamentos são algumas das vantagens e novidades do e-commerce. Com a popularização da internet e a entrada de cada vez mais empresas no mundo das compras on-line, o setor ganha força e pode ser uma ótima opção para os momentos de crise.

Com o fim do primeiro semestre de 2015 é prudente afirmar que o cenário econômico enfrentado é difícil, mas se for bem gerenciado, o momento atual pode ser um diferencial para o consumidor. Tudo depende também do posicionamento do lojista e de sua disposição em buscar soluções atraentes e acessíveis.

 

O consumidor acessa os sites com vontade de comprar, mas sem as condições de crédito ideais naquele momento. Então o importante é ajudá-lo, mostrar como obter um limite de crédito, como viabilizar aquela compra, como ter acesso a um parcelamento, a um método de financiamento correto e sustentável. Todas essas atividades podem trazer o consumidor de uma forma positiva para o site, concretizar a compra e provar que naquele momento o lojista o está ajudando a enfrentar a situação de crise.

As opções de pagamento também devem ser levadas em consideração na conquista do cliente. A solução Koin Pós-Pago, por exemplo, proporciona o pagamento via boleto bancário após o recebimento do produto, uma ótima escolha para aqueles ainda ressabiados em incluir dados financeiros na internet. Pesquisa realizada pela multinacional TNS neste ano constatou que o brasileiro ainda considera a segurança como uma barreira para o e-commerce.

Enxergar o mercado com otimismo e focar nas oportunidades que o e-commerce proporciona é a principal dica para lojistas e empreendedores. Uma prova disso é o exemplo americano. No epicentro da crise, em 2008, o crescimento do e-commerce nos Estados Unidos foi de 6%, traçando o caminho inverso de todos os índices de outros setores, que apresentaram declínio.

* Marcos Cavagnoli é CEO da Koin